quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Free to be you and me

Marlo Thomas sabia o que estava falando quando proclamou essas sábias palavras 30 anos atrás.
Já disse aqui que muitas vezes nossas vidas são "programadas" pelos outros. E que acabamos vivendo as expectativas dos outros sobre nós mesmas.
Conversando com uma amiga minha (que eu juro,não é imaginária!), que passa pelo mesmo problema,descobrimos a solução: se impor.
Quem lê isso,pensa "sério? agora me fala algo que eu não sei." mas calma que tem mais coisa envolvida nessa solução.
Muitas vezes,quando nos deparamos com um problema,sabemos exatamente o que deve ser feito mas mesmo assim, hexitamos. Queremos primeiro confirmar com nosso gurus (aka "amigos") o que devemos mesmo fazer. Se a resposta bater com o que pensamos, bingo! É isso! Você é um gênio e deveria ter um program de auditório estilo "Casos de Família". Se não,então o problema é pior do que você pensava e provavelmente envolverá lágrimas e Prozac.
Pois é,tudo isso tem a ver com a questão de se impor. Você sabe exatamente o que quer mas por temer a decepção dos outros,acaba levando a vida sobre a ótica do outro e espera por um santo dia em que poderá tocar o "fuck off" ao som do "Dog Days Are Over" (pelo menos,é essa a minha visão do futuro).
Enquanto esse dia não chega, o que devamos fazer? Pois bem,conversando com a minha amiga,desobrimos a solução: se impor.
É,infelizmente é essa mesmo. E eu, que quase nunca consegui impor algo na minha vida, digo que deve-se mesmo fazer isso e "bancar" as reclamações alheias. Porque só assim poderemos sentir a melhor sensação que existe: a de se livrar de uma obrigação.

Um comentário:

Rachel disse...

lendo isso, me fez lembrar de que só nós mesmos podemos saber as nossas reais necessidades/quereres (que não necessariamente são a mesma coisa - as vezes nos sabotamos e optamos por mergulhar nas nossas paranoias). mas quem tem que tomar a decisão final de qualquer coisa, mesmo que for marca do molho de tomate, é a gente, afinal, a gente que paga pelo preço dele. os amigos existem para lembrar-nos de quem somos e incentivarmo-nos a continuar no nosso caminho, que a gente escolheu, porque assim como nós eles também estão escolhendo os proprios caminhos e são tão suscetiveis a erros quanto nós, e também precisam de incentivo para seguir em frente quando tudo parece não ter motivo de existência.